quinta-feira, abril 17, 2014

MAIS QUE UMA CANÇÃO


dia 26 de abril, às 20h, no CPFL de Campinas/SP, terei a alegria de assistir meu primeiro livro de poemas, VINIS MOFADOS, transformado em música erudita pela compositora clássica Patricia De Carli.

a execução será realizada por Manuela Freua (soprano), Dana Radu (piano) e solistas instrumentais...

a SÉRIE: MAIS QUE UMA CANÇÃO, com curadoria do crítico João Luiz Sampaio, reúne o trabalho de compositores brasileiros da nova geração, que foram convidados a criar ciclos de canções a partir de textos de jovens poetas.

http://www.cpflcultura.com.br/wp/evento/musica-erudita-contemporanea-vinis-mofados-com-manuela-freua-dana-radu-e-solistas-instrumentais/

INSTITUTO CPFL CULTURA - 2014

música erudita contemporânea | vinis mofados, com manuela freua, dana radu e solistas instrumentais
26 de abril de 2014 in
série: mais que uma canção

a prática da canção é uma das manifestações mais importantes de diversas correntes musicais mundo afora. entretanto, a modernidade ainda está por explorar todo o potencial da voz humana e sua combinação com diferentes formações instrumentais. a série, assim, reúne o trabalho de compositores brasileiros da nova geração, que foram convidados a criar ciclos de canções a partir de textos de jovens poetas. e dessas parcerias, articulando tradição e modernidade, surge um novo diálogo poético-musical, que tanto revisita com novo olhar temas-chave do cancioneiro ocidental – amor, paixão, desejo, natureza – como advoga em favor de uma não-poesia e abarca temas novos como a tecnologia e a vida urbana.

curadoria: joão luiz sampaio

26/04/2014 | sáb | 20h

vinis mofados

estar aberto a diversas influências – e entender e explicar a própria vida a partir da paixão pela música e sua presença no cotidiano. essa é a tônica da poesia do carioca ramon nunes mello, que articula a palavra dita e a palavra sentida com a palavra cantada no livro-álbum “vinis mofados”, adaptado pela compositora patrícia de carli.

manuela freua | soprano

dana radu | piano

solistas instrumentais

programa

arnold schoenberg

brettl-lieder

manuela freua | soprano

dana rad| piano

 leonard bernstein

i hate music

manuela freua | soprano

dana rad| piano

michelle agnes

“vinis mofados”

* primeira audição mundial de ciclo baseado no livro “vinis mofados”, de ramon nunes mello

série:  mais que uma canção
curador: joão luiz sampaio
local: cpfl cultura (rua jorge figueiredo corrêa, 1.632, chácara primavera, campinas – sp);
data: 26 de abril de 2014
horário: 20h;
capacidade: auditório umuarama: 162 lugares;
classificação etária: 14 anos;
entrada gratuita, por ordem de chegada, a partir das 19h. vagas limitadas;
informações: cpfl cultura (19) 3756-8000 ou em www.cpflcultura.com.br;





RODRIGO DE SOUZA LEÃO NA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA

no dia 16 de abril, às 17h, a Fundação Casa de Rui Barbosa organizou a série Arquivos Pessoais, com mesa-redonda em homenagem ao escritor Rodrigo de Souza Leão (1965-2009). 

participei, ao lado da arquivista da FCRB Rosely Rondinelli (responsável pelo acervo) e da poeta e cineasta Letícia Simões (diretora do documentário 'Tudo vai ficar da cor que você quiser' - em montagem).

=> sobre o acervo de Rodrigo de Souza Leão:

em 27 de novembro de 2013, o setor Arquivo Museu de Literatura Brasileira (AMLB), da Fundação Casa de Rui Barbosa, recebeu seu primeiro acervo digital, do escritor, jornalista e poeta Rodrigo de Souza Leão.

com autorização da família Souza Leão, formalizei a doação do acervo em mídias de transporte, equivalente a 114 disquetes, 14 CDs, 4 DVDs e 1 pen drive. todo o material foi transferido para o servidor da instituição e devidamente organizado. hoje, encontra-se disponível para consulta nas dependências da FCRB.








gratidão Eduardo Coelho por formalizar a doação do acervo de Rodrigo de Souza Leão, em 2012, período em que esteve na direção do Arquivo Museu de Literatura Brasileira

domingo, abril 06, 2014

DO RETORNO À RAIZ


“devagar, devagarinho / é assim que eu entro / no caminho / dou um passo, / volto um passinho” (Ana Vitória Vieira Monteiro)

Inicio um novo ciclo ao decidir, após 14 anos morando no Rio de Janeiro, voltar para minha terrinha, Araruama. Os motivos? Entre tantos, ter mais qualidade de vida, passar um tempo com minha família e dedicar-me com atenção à criação. Aproveitei os 30 anos para colocar minha trajetória na balança e retornar à raiz.

Quando decidi sair do Rio de Janeiro, li o apaixonado texto da jornalista portuguesa Alexandra Lucas Coelho (publicado em Revista O Globo, em 23/02) relatando sua despedida. Pois é, caríssima Alexandra, compreendo seu desencanto. Os moradores do Rio estão enfrentando uma realidade dispendiosa para se manter no território que ajudam a construir. Esse lugar de belezas infindas perde trabalhadores de diferentes classes, principalmente os artistas, que criam o imaginário cultural da cidade.

Ao comentar sobre minha saída, um amigo perguntou se eu não me envergonhava de expor meu regresso. Não, respondi, pois tenho plena consciência de minha integridade e dos meus sonhos. Vergonha? De uma política que desvaloriza artistas, educadores e médicos; desqualifica o trabalho de garis; desrespeita indígenas; e combate reivindicações com violência.

Desejo que toda essa crise traga uma profunda reflexão sobre o que está sendo feito com o Rio de Janeiro, e com o Brasil de forma geral. Acredito em mudanças efetivas no modelo de administração pública do país, com maior investimento nos Direitos Humanos. Para, então, vislumbrarmos uma cidade mais pacífica e possível para se viver, onde a capacidade de alumbramentos e perplexidades no dia-a-dia possa ser preservada.

Estarei por perto, é inevitável. Faço apenas uma pequena pausa, vou escrever meus livros. Com afeto, digo: Até logo, Rio de Janeiro. O fim é o meio. Sou grato por tudo que conquistei até o momento, principalmente aos amigos. A distância não impedirá que eu continue a amar essa cidade. Paz sem fronteiras, sempre.

Ramon Nunes Mello

[Revista O Globo 06/04/2014 - matéria assinada por Mariana Filgueiras]