sexta-feira, novembro 26, 2010

TEMPO

"Sêneca nos ensina que temos que agir sabendo que vamos morrer. Quando se está consciente da morte, distingue-se o essencial do acessório. A consciência da morte muda o modo como utilizamos o tempo. Muda a forma como vivemos. Carta a Lucílio são cartas de Sêneca a um aprendiz. A primeira carta fala precisamente do tempo. O aprendiz reclama da falta de tempo. Sêneca diz a ele: 'Ao invés de se queixar da falta de tempo, vais ver o que é essencial e o que é acessório. E no dia seguinte fazes somente o que é essencial. E assim verás: tens tempo'. "

Gonçalo M. Tavares

['Máquina de escrever', Segundo Caderno, O Globo, entrevista realizada por Karla Monteiro - 25/11/10]


3 comentários:

Aline disse...

Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.

Carlos Drummond de Andrade

Anônimo disse...

Das últimas postagens:
"Força é mudares de vida"...
Consciência da morte, mudança na forma de viver...
Algo o preocupa, poeta?
Abs.
Flavio Santos - Rio

Ramon Mello disse...

mudanças são necessárias, flavio. as postagens refletem esse instante.

abraço, ramones.